Uma nova estratégia para a enfermagem no SUS

O Instituto de Estudos para Políticas de Saúde, o Republica.org e o Instituto de Medicina Social da UERJ organizaram um seminário no dia 22 de julho sobre o estado da arte dos desafios da enfermagem, com o propósito de criar uma agenda conjunta de pesquisa e prática para a enfermagem no Brasil. Além dos palestrantes, participaram diversos especialistas e acadêmicos da área, especialistas de organizações internacionais e organizações de grantmaking interessadas em saúde.

Ler mais

Uerj e outras nove instituições públicas fluminenses consideram improvável o retorno presencial em 2020

As Instituições Públicas Federais e Estaduais de Educação do Rio de Janeiro, com base em nota da Comissão de Especialistas das Universidades Públicas e Institutos Federais do Estado do Rio de Janeiro sobre o retorno das atividades acadêmicas regulares durante a pandemia de Covid-19, vêm manifestar que é bastante improvável o retorno da atuação presencial durante o ano de 2020, sendo certo que ainda não é possível afirmar quando isto se dará e que todas as decisões sobre o tema serão lastreadas eminentemente em critérios científicos. Confira.

Ler mais

Número de óbitos no RJ por Covid-19 tem pequena queda

Depois da Nota do Corpo Docente do Instituto de Medicina Social “Sobre a pandemia: pela vida, contra omissões e crimes de governos”, divulgada na manhã de 8 de junho pelos canais e mídias parceiras do IMS/UERJ, Claudia de Souza Lopes, diretora do Instituto, participou da reportagem do RJ2 da Globo Rio, que apresentou uma pequena queda no número de óbitos no RJ por Covid-19. O foco estava na afirmação de que o isolamento social funciona. Na reportagem, fica clara a posição do IMS, de que é contra a flexibilização do isolamento no Rio de Janeiro nesse momento ainda de ascensão da curva da pandemia.

Ler mais

Política de Gestão do Trabalho e Educação em Saúde: a experiência do ProgeSUS

O estudo de Carinne Magnago, Celia Regina Pierantoni, Tania França, Swheelen de Paula Vieira, Rômulo Gonçalves de Miranda e Dayane Nunes Nascimento avalia o estágio das políticas de gestão do trabalho e educação em secretarias municipais e estaduais de saúde (SMS e SES, respectivamente), tendo como referencial a adesão a um programa de qualificação e estruturação da gestão do trabalho e da educação no Sistema Único de Saúde.

Ler mais

Aquisição domiciliar de refrigerantes e de biscoitos reduz o efeito de uma intervenção de promoção de frutas e hortaliças

O estudo desenvolvido por Gulnar Azevedo, Fábio Gomes e Inês Rugani, examina a influência do aumento da disponibilidade intradomiciliar de refrigerantes e biscoitos sobre os efeitos de uma intervenção de promoção do consumo de frutas e hortaliças. Foram analisados os dados de 70 famílias que viviam em comunidades de baixa renda na cidade do Rio de Janeiro, Brasil, que foram selecionadas por meio de uma amostra probabilística estratificada e completaram registro alimentar de 30 dias antes e depois da intervenção.

Ler mais

A capilaridade da Política Nacional de Educação Permanente em Saúde no Brasil

Este artigo de Tania França, Celia Pierantoni, Soraya Belisario, Katia Medeiros, Janete Castro, Isabela Cardoso e Ana Garcia, trata-se de revisão integrativa da literatura que objetivou identificar as concepções sobre educação permanente em saúde no Brasil, as metodologias utilizadas para seu desenvolvimento, as estratégias, principais desafios e dificuldades relacionadas à execução da Política Nacional de Educação Permanente em Saúde (PNEPS), do Ministério da Saúde do Brasil.

Ler mais